Bem Vindo

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Conheça a igreja da Colômbia


      

Ocupando a 35ª posição no ranking da Classificação da Perseguição Religiosa 2015, a Colômbia é um lugar de grande violência contra os cristãos. Por outro lado, o crescimento da igreja é significativo
 Governo da Colômbia não está interessado em direitos religiosos, para ele a Constituição 1991 já se posiciona afirmando a liberdade de religião. Porém, a realidade não é bem assim como diz a Constituição. As áreas rurais que são controladas pelas unidades de guerrilha são áreas onde o governo só pretende erradicar as minorias. Nas áreas indígenas é necessário que as igrejas locais tenham uma autorização especial dos líderes indígenas. Em áreas controladas pelos grupos armados ilegais, igrejas podem operar somente com a permissão das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), Exército de Libertação Nacional da Colômbia (ELN) ou comandantes paramilitares.

Apesar de toda essa pressão, a igreja da Colômbia é formada por cinco milhões de membros, dos quais 20%, um milhão, são cristãos perseguidos. Quinhentos mil cristãos perseguidos vivem como desalojados (em campos de refugiados ou abrigos), em extrema pobreza. Os outros 500 mil vivem em áreas de conflito controladas pelos grupos armados. Estatísticas do Conselho Evangélico de Igrejas da Colômbia indicam que mais de 400 igrejas já foram fechadas e cerca de 150 pastores foram assassinados pelas facções desde 1998.

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Você quer facilitar as coisas? Vale a pena assumir um compromisso radical com Jesus: o caminho perfeito!

Novamente o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles.
E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares.
Então disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás.
Então o diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos, e o serviam”. (Mateus 4:8-11)
Como é difícil passar nos testes que vida nos impõe por permissão de Deus!
Muitas vezes, é mais fácil sermos aprovados quando estamos vivendo crises do que quando estamos sendo aplaudidos. A Bíblia oferece uma lista impressionante de pessoas que não passaram nos testes da vida nos momentos que estavam subindo. Um exemplo disso é Saul.
Há também uma lista enorme de reprovados nos testes da vida em um ambiente de honra, assim como há uma lista extensa de reprovados que estavam indo ladeira abaixo.
Jesus é o nosso modelo do céu, que o Pai apresentou à Terra, porque foi testado em todas as situações e foi aprovado. A Bíblia diz no capítulo 4 de Efésios: “Aquele que desceu é o mesmo que subiu. […] Levou cativo o cativeiro e deu dons aos homens”.
Existem pessoas que quando descem se perdem. Afastam-se do projeto de Deus porque estão perdendo. Há ainda as que não se perdem quando descem, mas quando sobem. Elas não podem ser honradas, porque quando estão em ascensão se desviam do caminho de Deus.
Não é fácil quando satanás aplica o teste. O nome ‘satanás’ significa enganador, e quem engana tem técnica. Jesus foi testado por uma potência espiritual.
Satanás, então, foi conversar com Jesus, sabendo que ele era um missionário, o maior de todos, o modelo, o exemplo, a referência. Sua missão: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. (João 3:16)
Satanás oferece o mundo a Jesus, o mundo que Ele veio conquistar a um preço muito alto. O caminho que Jesus teria de trilhar para alcançar seu objetivo era muito duro. Ele enfrentaria a traição de alguém muito próximo. Acredito que o beijo de Judas no rosto de Jesus doeu mais que as 39 chibatadas que ele recebeu, mais que os cravos que foram pregados em seus pés e suas mãos, mais que a coroa de espinhos.
É muito doloroso quando alguém que come conosco no prato vira contra nós o seu calcanhar. Quando Jesus ganha o beijo de Judas, ele olha para discípulo e diz: “A que vens, amigo?” (Mateus 26:50). Difícil dimensionar o tamanho da amargura da alma que sai junto com esta declaração de Jesus, chamando Judas de amigo.
Satanás ao propor o caminho mais fácil, em outras palavras, estava dizendo: “O caminho que você escolheu tem um Judas Iscariotes, tem Pedro, que vai te negar três vezes. Você vai ser julgado no Sinédrio, acusado e condenado pelo que não fez. Vão te humilhar, envergonhar, tirar suas vestes, te bater, te machucar, te pregar na cruz e te matar. Este é o caminho mais difícil que você escolheu para alcançar o seu objetivo”.
Por trás da proposta de satanás, estava o caminho mais fácil, sem dor, sofrimento, sem ter de pagar este alto preço. Bastava que Jesus se prostrasse e o adorasse. Era ‘simples’ assim.
Diante deste teste, Jesus respondeu que para ele não interessava o caminho mais fácil, mas sim o caminho que o levasse aonde teria de chegar.
O caminho que nos leva aonde temos de chegar é a Palavra de Deus. Ela é a ligação entre o ponto que estamos quando recebemos a promessa e o ponto do cumprimento da promessa. É o caminho mais seguro. Deus nunca nos prometeu que seria o mais fácil. A Bíblia disse que o caminho de Deus é perfeito, não que é o mais tranquilo. E o caminho perfeito é geralmente o mais árduo.
Vejamos na Bíblia os caminhos que Deus construiu. Ele vai começar uma nova nação e escolhe um senhor de 75 anos, casado com uma mulher estéril. Chama Abrão e lhe promete: “Eu farei de você uma grande nação”, mas dá para ele uma esposa que não podia gerar filhos. Mas o caminho de Deus é o caminho do milagre, do sobrenatural.
Quando Deus tirou os filhos de Israel do Egito, Ele abriu uma estrada no meio do Mar Vermelho. Era caminho de crente, só entrava quem cria que Deus, que abriu a estrada, tinha poder para segurar as montanhas de águas que se formavam nos lados. Era o caminho da dependência. Quem dava o primeiro passo para o mar sabia que não tinha volta.
Quando Deus decidiu colocar José sentado ao lado do trono de Faraó para ser governador do Egito, o jogou no fundo do poço. Muitas pessoas colocam na cabeça que todas as vezes que elas caem no poço é porque o diabo as lançou.
Sabemos da história de José e entendemos que o poço era uma escala, o destino final era o trono ao lado do Faraó. Deus estava no controle.
O caminho perfeito de Deus, às vezes, nos leva para a fornalha de fogo ardente, para a cova de leões ou diante de um Golias, nos desafiando. Há várias escalas até o cumprimento da promessa e se seguimos o caminho certo, passamos nos testes, não vamos morrer no caminho.
Jesus diante de seu teste poderia pegar o caminho mais fácil. Mas Ele conhecia satanás, sabia que o inimigo não facilitava nada, que apresentava um caminho aparentemente bom, mas que terminaria mal. O diabo oferece a glória e termina com a cruz. Deus oferece a cruz e termina com a glória.
Jesus, como bem sabemos, não aceitou a proposta de satanás. Ele passou neste teste e foi para cruz. Sexta-feira ele é morto, no domingo ressuscita, e hoje está assentado à direita de Deus.
Dia a dia, todos nós passamos por inúmeros testes, cada um à sua maneira e no limite de suas forças. Em cada uma destas provações nos deparamos com o dilema: “Você quer facilitar as coisas?
Há muitas formas de termos uma vida mais fácil. O problema é como as coisas terminam. Na Bíblia, temos o exemplo de Absalão. Ele quis o caminho mais fácil para o trono e terminou morto, pendurado pelos cabelos.
Vale a pena assumir um compromisso radical com Jesus: o caminho perfeito!

“Evidências confirmam existência de Adão e Eva”, diz geneticista

Especialista defende que os cristãos devem estudar as informações científicas, para defender a confiabilidade da Bíblia
Uma conceituada geneticista molecular decidiu fazer um documentário para mostrar a historicidade de Adão e Eva. Para ela, as descobertas modernas no campo da genética confirmam os ensinamentos da Bíblia que todos os seres humanos descendem de um casal original.
A doutora Georgia Purdom possui Ph.D. em genética molecular pela Universidade Ohio State. Já publicou artigos em uma série de revistas científicas, incluindo Journal of Neuroscience e Journal of Bone and Mineral Research. Além de trabalhar como professor de biologia, tem se dedicado a apoiar o ministério de apologética cristã Answers in Genesis (AiG).
Já fez diferentes palestras sobre o assunto nos EUA e seu mais recente trabalho, disponível agora em DVD chama-se “A Genética de Adão & Eva”. Seguindo a perspectiva da genética, ela examina o relato de Gênesis sobre as origens da humanidade.
“Um dos maiores debates no cristianismo diz respeito às duas primeiras pessoas, Adão e Eva, se eram reais ou o produto de mitos”, escreveu Purdom em um artigo recente.
“Aqueles que afirmam que evoluímos ao longo de milhões de anos acreditam que Adão e Eva, conforme a Bíblia ensina sobre eles, não têm lugar na história da humanidade. Eles argumentam que a ciência da genética prova que não podemos ser descendentes de apenas duas pessoas. Muitos cristãos aceitaram esta posição e propõe que a sua existência histórica é irrelevante para o cristianismo e o evangelho”.
Porém, a doutora Purdom defende que aceitar a existência histórica de Adão e Eva é imprescindível para uma compreensão adequada do evangelho. “Entender que Adão e Eva eram pessoas reais ajuda as pessoas a perceberem a necessidade de um salvador, por que foram eles que trouxeram o pecado”, explica.
“Jesus é a solução para o problema do mal, que começou em Gênesis 3. Paulo fez essa conexão muito clara em Romanos 5 e 1 Coríntios 15″, defende.
Para a doutora, os cristãos devem estudar as informações científicas, para que possam defender a confiabilidade da Bíblia, começando por Gênesis. No documentário, ela estuda algumas descobertas recentes da genética, que colaboram para um entendimento maior do relato da criação na Bíblia.
Ela aponta para a pesquisa de DNA mitocondrial feito pelo geneticista Nathaniel Jeanson. “Ele mostra claramente que o ancestral humano comum de todos nós (Eva bíblica) viveu dentro do período bíblico de apenas milhares de anos atrás.”
Aos que pedem “provas” para contradizer as reivindicações dos evolucionistas, Purdom esclarece que “A genética mostra claramente que humanos e chimpanzés não compartilham um ancestral comum. Há muitas, muitas diferenças em seu DNA que minam completamente a possibilidade de ancestralidade compartilhada”. Com informações de Christian News

Evangélico, procurador da Lava-Jato pede assinaturas para projeto de lei contra corrupção

O procurador Deltan Dallagnol, coordenador da Operação Lava-Jato, publicou um vídeo pedindo assinaturas para uma proposta criada pelo Ministério Público Federal (MPF) que, entre outras medidas, transforma a corrupção em crime hediondo.
Dallagnol, que é membro da Igreja Batista do Bacacheri, em Curitiba (PR), esteve no Rio de Janeiro para o lançamento da campanha, que visa coletar 1,5 milhão de assinaturas para que a proposta possa ser apresentada como projeto de lei no Congresso, semelhantemente à iniciativa que gerou a lei da Ficha Limpa.
No auditório do Seminário Batista do Sul do Brasil, na Tijuca, Dallagnol afirmou que acredita que o sucesso alcançado até agora pela Operação Lava-Jato é uma resposta divina ao clamor dos cristãos por um país mais honesto e justo.
“Dentro da minha cosmovisão cristã, eu acredito que existe uma janela de oportunidade que Deus está dando para mudanças […] É isso aí. Deus está respondendo”, disse Dallagnol, de acordo com informações da Folha de S. Paulo.
Ao longo de seu discurso, o procurador comparou sua tarefa, ao lado dos investigadores, à incumbência de Neemias, que no Antigo Testamento comandou a reconstrução dos muros da cidade: “Neemias agiu. Se nós queremos mudar o sistema, precisamos orar, agir e apoiar medidas contra a corrupção. O cristão é aquele que acredita em mudanças quando ninguém mais acredita. Nós acreditamos porque vivemos na expectativa do poder de Deus”, prosseguiu

Acima da Média? Bem-aventurados os humildes…

 problema do cristão é achar que está acima da média (não apenas na música, como na teologia, espiritualidade, boas obras, etc). Não estamos acima de ninguém, nosso lugar é lavando os pés dos nossos irmãos. Se há um lugar para o cristão estar é de joelhos.
“Esta afirmação é fiel e digna de toda aceitação: Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o pior.” Apóstolo Paulo em 1 Timóteo 1:15
Não esteja acima da média. Esteja aos pés da cruz pois no Reino de Deus o menor será o maior e o último será o primeiro.

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Assembleia de Deus no Brasil comemora 104 anos

Igreja foi fundada em 18 de junho de 1911 pelos missionários suecos Daniel Berg e Gunnar Vingren

s Assembleias de Deus no Brasil estão completando, neste dia 18 de junho, 104 anos de fundação. Tudo começou com a vinda de dois missionários suecos que antes de chegarem ao Brasil visitaram o movimento de despertamento e avivamento espiritual da Rua Azuza em Los Angeles, EUA. 

Daniel Berg e Gunnar Vingren atenderam a chamada missionária ao receberem uma revelação de Deus acerca do Pará. Porém, ambos não sabiam onde ficava. Ao pesquisarem no mapa descobriram que se tratava da região norte de nosso país. Obedecendo ao “ide” chegaram a terras brasileiras em 19 de novembro de 1910.

A princípio reuniram-se com as igrejas batistas aqui já instaladas, mas como traziam na bagagem a doutrina pentecostal do batismo no Espírito Santo com a evidência do falar em línguas e a atualidade da concessão de dons espirituais como nos tempos apostólicos, não demorou para que o Senhor Jesus começasse a batizar os membros daquela igreja que, não aceitando a nova doutrina, decidiram desligar da comunhão os crentes que se uniram aos missionários. Entre eles, a irmã Celina Albuquerque, que na madrugada de 02 de junho de 1911 recebeu o batismo no Espírito Santo e falou em línguas conforme a promessa descrita no livro do profeta Joel 2 e seu cumprimento em Atos dos Apóstolos 2. Ela foi a primeira crente da igreja Batista de Belém a ser batizada. Logo outros foram batizados também. Um total de 13 membros deixou a igreja Batista em Belém do Pará para juntar-se aos missionários e fundarem em 18 de junho de 1911 a igreja Missão da Fé Apostólica.

Muitos estavam curiosos para conhecerem a nova doutrina. Houve rejeição por parte de alguns, mas muitos abraçaram a doutrina porque viam nas páginas da Bíblia a confirmação do que era pregado e ensinado pelos missionários estrangeiros. A essa altura as reuniões de oração que no início aconteciam na residência dos missionários, passaram à residência da irmã Celina de Albuquerque.

Reunidos na casa da irmã Celina, por sugestão de Gunnar Vingren, em 18 de janeiro de 1918, registrou-se a igreja Assembleia de Deus, nome que traz até hoje. Tendo origem no movimento pentecostal do início do século XX na América, as Assembleias de Deus do Brasil, cresceram nos moldes da igreja do Novo Testamento, onde os discípulos cheios do Espírito Santo levaram o Evangelho a todo o mundo.

Não muito tempo depois as Assembleias de Deus chegaram aos grandes centros urbanos das regiões Sul e Sudeste, como Porto Alegre, São Paulo e Belo Horizonte. Em 1922 chegou ao Rio de Janeiro, no bairro de São Cristóvão, e ganhou impulso com a transferência de Gunnar Vingren, de Belém, PA, em 1924, para a então capital da República.

Desde 1930, quando se realizou a primeira Convenção Geral dos pastores na cidade de Natal, RN, as Assembléias de Deus no Brasil passaram a ter autonomia interna, sendo administrada exclusivamente pelos pastores residentes no Brasil, sem, contudo perder os vínculos fraternais com a igreja na Suécia. A partir de 1936 a igreja passou a ter maior colaboração das Assembléias de Deus dos EUA através dos missionários enviados ao país, os quais se envolveram de forma mais direta com a estruturação teológica da denominação.

Em virtude de seu fenomenal crescimento, principalmente depois dos anos 90 com a criação e ação da chamada Década da Colheita, iniciativa das Assembléias de Deus, os pentecostais começaram a fazer diferença no cenário religioso brasileiro. De repente, as autoridades religiosas e seculares despertaram para uma possibilidade jamais imaginada: o Brasil poderia vir a tornar-se, no futuro, uma nação protestante. Tal possibilidade se tornou ainda mais real com a divulgação entre o final de 2006 e início de 2007 por um instituto de pesquisa de que, com vinte milhões de fiéis, o Brasil é o maior país pentecostal do mundo.

Atualmente, os mesmos institutos de pesquisa apontam para uma mudança no perfil evangélico brasileiro em todos os setores da sociedade por conta da ação do Evangelho. As Assembleias de Deus estão hoje em todas as camadas da sociedade, inclusive com representantes na esfera política do Congresso Nacional. Como agente de mudança não somente espiritual, vê-se a igreja agindo em grande escala em trabalhos sociais de grande envergadura e empenhada a mudar a face do nosso país a partir do Evangelho de Jesus Cristo, tendo templos em quase todas as cidades brasileiras.
 

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Mais que uma história de amor

Durante anos Jasmeen* foi uma cristã secreta, já que em seu país ela poderia morrer simplesmente por ter sua fé em Jesus Cristo. Seu pai teve que tomar uma decisão muito importante politicamente e decidiu casar Jasmeen com o filho de um "muftí", uma autoridade no conhecimento da Sharia, lei islâmica. Jasmeen não tinha escolha. Ela tinha que aceitar

Jasmeen tinha um amigo chamado Murad*, um professor universitário e cristão secreto, assim como ela. Mas Murad guardava um outro segredo: ele queria se casar com Jasmeen e começar a construir uma família cristã.
Ao ver que não havia nenhuma escapatória para seu casamento arranjado, Jasmeen foi para a Turquia para comprar coisas para seu casamento. Enquanto estava lá, uma revolução política fez com que seu pai perdesse a posição política que ocupava e todo o dinheiro que tinha. E, de repente, o filho do muftí perdeu todo o interesse por Jasmeen.

Quando Murad soube o que havia acontecido, ele se perguntou se os pais de Jasmeen permitiriam que ela se casasse com alguém que nunca foi rico e não era filho de um muftí. Então ele falou com os pais de Jasmeen e eles o aceitaram. Entretanto, eles exigiram um dote de 25.000 dólares por sua filha. Aquela era uma quantidade impossível para Murad. Mas não para Deus.

Jamil*, Secretário Regional do Oriente Médio e do Norte da África, estava viajando pelos Estados Unidos e compartilhou esta história em uma igreja. Enquanto estava falando, um homem se aproximou e disse que havia acabado de ganhar um dinheiro em uma transação comercial e que agora sabia o que deveria fazer com o dinheiro.

Esta é apenas uma maravilhosa história de amor? Ou uma história sobre a provisão de Deus? Não, é muito mais do que isso. É uma história de como Deus usou uma revolução política para cumprir seus propósitos. É a história do primeiro casal cristão conhecido onde é mais comum que cristãos e muçulmanos se casem entre si. E vemos como Deus usa estas circunstâncias para trazer a luz do evangelho a uma geração de estudantes em um país tão obscuro como este. Porque a história não termina no casamento de Jasmeen e Murad.

Após a revolução, os expatriados começaram a sair do país. Murad escreveu: "Sempre pediamos Bíblias e nunca recebíamos. Depois que um casal de missionários deixou o país, nós entramos em sua casa e encontramos um tesouro: quatro caixas de Bíblias em árabe! Eu levei três Bíblias para a universidade e perguntei aos meus alunos: ‘Algum de vocês quer este livro para fins de pesquisa?’ Então muitas pessoas responderam que sim!"

Em janeiro deste ano Murad tornou-se o primeiro missionário no país da International Fellowship of Evangelical Students (IFES), uma missão evangélica que trabalha com movimentos estudantis em escolas e universidades no mundo todo. Murad trabalha em tempo parcial como missionário enquanto mantém seu cargo de professor na universidade. "Este é o meu sonho", ele disse. "Meu chamado é servir aos estudantes."

*Nomes foram alterados por motivos de segurança.

Pedidos de oração
  • Peça a Deus por segurança e sabedoria à Murad. Ele busca ser luz de Cristo em sua universidade, enquanto se reúne com um grupo secreto de estudantes cristãos para estudar a Bíblia.
  • Clame a Deus para que o casamento de Jasmeen e Murad seja um reflexo real da relação entre Cristo e a Igreja.
  • Ore por todos os cristãos que vivem em países onde não é nada seguro ser um seguidor de Jesus.