Bem Vindo

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Você quer facilitar as coisas? Vale a pena assumir um compromisso radical com Jesus: o caminho perfeito!

Novamente o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles.
E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares.
Então disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás.
Então o diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos, e o serviam”. (Mateus 4:8-11)
Como é difícil passar nos testes que vida nos impõe por permissão de Deus!
Muitas vezes, é mais fácil sermos aprovados quando estamos vivendo crises do que quando estamos sendo aplaudidos. A Bíblia oferece uma lista impressionante de pessoas que não passaram nos testes da vida nos momentos que estavam subindo. Um exemplo disso é Saul.
Há também uma lista enorme de reprovados nos testes da vida em um ambiente de honra, assim como há uma lista extensa de reprovados que estavam indo ladeira abaixo.
Jesus é o nosso modelo do céu, que o Pai apresentou à Terra, porque foi testado em todas as situações e foi aprovado. A Bíblia diz no capítulo 4 de Efésios: “Aquele que desceu é o mesmo que subiu. […] Levou cativo o cativeiro e deu dons aos homens”.
Existem pessoas que quando descem se perdem. Afastam-se do projeto de Deus porque estão perdendo. Há ainda as que não se perdem quando descem, mas quando sobem. Elas não podem ser honradas, porque quando estão em ascensão se desviam do caminho de Deus.
Não é fácil quando satanás aplica o teste. O nome ‘satanás’ significa enganador, e quem engana tem técnica. Jesus foi testado por uma potência espiritual.
Satanás, então, foi conversar com Jesus, sabendo que ele era um missionário, o maior de todos, o modelo, o exemplo, a referência. Sua missão: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. (João 3:16)
Satanás oferece o mundo a Jesus, o mundo que Ele veio conquistar a um preço muito alto. O caminho que Jesus teria de trilhar para alcançar seu objetivo era muito duro. Ele enfrentaria a traição de alguém muito próximo. Acredito que o beijo de Judas no rosto de Jesus doeu mais que as 39 chibatadas que ele recebeu, mais que os cravos que foram pregados em seus pés e suas mãos, mais que a coroa de espinhos.
É muito doloroso quando alguém que come conosco no prato vira contra nós o seu calcanhar. Quando Jesus ganha o beijo de Judas, ele olha para discípulo e diz: “A que vens, amigo?” (Mateus 26:50). Difícil dimensionar o tamanho da amargura da alma que sai junto com esta declaração de Jesus, chamando Judas de amigo.
Satanás ao propor o caminho mais fácil, em outras palavras, estava dizendo: “O caminho que você escolheu tem um Judas Iscariotes, tem Pedro, que vai te negar três vezes. Você vai ser julgado no Sinédrio, acusado e condenado pelo que não fez. Vão te humilhar, envergonhar, tirar suas vestes, te bater, te machucar, te pregar na cruz e te matar. Este é o caminho mais difícil que você escolheu para alcançar o seu objetivo”.
Por trás da proposta de satanás, estava o caminho mais fácil, sem dor, sofrimento, sem ter de pagar este alto preço. Bastava que Jesus se prostrasse e o adorasse. Era ‘simples’ assim.
Diante deste teste, Jesus respondeu que para ele não interessava o caminho mais fácil, mas sim o caminho que o levasse aonde teria de chegar.
O caminho que nos leva aonde temos de chegar é a Palavra de Deus. Ela é a ligação entre o ponto que estamos quando recebemos a promessa e o ponto do cumprimento da promessa. É o caminho mais seguro. Deus nunca nos prometeu que seria o mais fácil. A Bíblia disse que o caminho de Deus é perfeito, não que é o mais tranquilo. E o caminho perfeito é geralmente o mais árduo.
Vejamos na Bíblia os caminhos que Deus construiu. Ele vai começar uma nova nação e escolhe um senhor de 75 anos, casado com uma mulher estéril. Chama Abrão e lhe promete: “Eu farei de você uma grande nação”, mas dá para ele uma esposa que não podia gerar filhos. Mas o caminho de Deus é o caminho do milagre, do sobrenatural.
Quando Deus tirou os filhos de Israel do Egito, Ele abriu uma estrada no meio do Mar Vermelho. Era caminho de crente, só entrava quem cria que Deus, que abriu a estrada, tinha poder para segurar as montanhas de águas que se formavam nos lados. Era o caminho da dependência. Quem dava o primeiro passo para o mar sabia que não tinha volta.
Quando Deus decidiu colocar José sentado ao lado do trono de Faraó para ser governador do Egito, o jogou no fundo do poço. Muitas pessoas colocam na cabeça que todas as vezes que elas caem no poço é porque o diabo as lançou.
Sabemos da história de José e entendemos que o poço era uma escala, o destino final era o trono ao lado do Faraó. Deus estava no controle.
O caminho perfeito de Deus, às vezes, nos leva para a fornalha de fogo ardente, para a cova de leões ou diante de um Golias, nos desafiando. Há várias escalas até o cumprimento da promessa e se seguimos o caminho certo, passamos nos testes, não vamos morrer no caminho.
Jesus diante de seu teste poderia pegar o caminho mais fácil. Mas Ele conhecia satanás, sabia que o inimigo não facilitava nada, que apresentava um caminho aparentemente bom, mas que terminaria mal. O diabo oferece a glória e termina com a cruz. Deus oferece a cruz e termina com a glória.
Jesus, como bem sabemos, não aceitou a proposta de satanás. Ele passou neste teste e foi para cruz. Sexta-feira ele é morto, no domingo ressuscita, e hoje está assentado à direita de Deus.
Dia a dia, todos nós passamos por inúmeros testes, cada um à sua maneira e no limite de suas forças. Em cada uma destas provações nos deparamos com o dilema: “Você quer facilitar as coisas?
Há muitas formas de termos uma vida mais fácil. O problema é como as coisas terminam. Na Bíblia, temos o exemplo de Absalão. Ele quis o caminho mais fácil para o trono e terminou morto, pendurado pelos cabelos.
Vale a pena assumir um compromisso radical com Jesus: o caminho perfeito!

Nenhum comentário:

Postar um comentário