Bem Vindo

sábado, 30 de maio de 2015

Existe predestinação quanto à salvação?

A Bíblia fala de eleição (1 Crônicas 16.13; Isaías 65; Romanos 11; Colossenses 3.12; Tito 1.1; 1 Pedro 1.2; Apocalipse 17.14) e de predestinação (Romanos 8.29,30; Efésios 1.5,11), mas não num sentido individual. Tais textos se referem ao destino coletivo dos santos do Antigo e do Novo Testamento, aqueles que deliberadamente escolherem obedecer a Deus e à Sua Palavra.
No Novo Testamento, os eleitos de Deus são todos aqueles que creram em Jesus e aceitaram o senhorio dele, tornando-se Seus imitadores e filhos do Pai celestial. A partir dessa experiência pessoal, chamada de salvação, tais indivíduos passaram a desfrutar da comunhão com Deus pelo Espírito Santo, que veio habitar nos cristãos para moldá-los à imagem divina de Jesus, de quem se tornaram irmãos e coerdeiros, tendo direito ao céu e à vida eterna.
É claro que Deus, sendo onisciente, sabe de todas as coisas, inclusive quem será salvo e quem não será. Mas isso não significa que Ele tenha predestinado uns para o céu e outros para o inferno. Afinal, Deus criou o ser humano e concedeu-lhe livre-arbítrio, responsabilizando-o por seus atos e suas escolhas.
Se não fosse assim, a promessa de salvação não seria condicional: aquele que perseverar até ao fim será salvo (Mateus 10.22;24.13). Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida (Apocalipse 2.10).
Deus deseja que todos se salvem, mas muitos não atendem ao Seu chamado. Se não existisse livre-arbítrio, o pecado da humanidade teria sido um plano do próprio Deus, como se Ele tivesse traçado esse destino de pecado e morte para o homem. Isso é um absurdo teológico!
Logo, a incompreensão dos conceitos de eleição e de predestinação tem servido de base para a defesa de uma “predestinação fatalista”, que não tem base bíblica, a qual se vale de um texto sem o contexto. Isso infringe a hermenêutica bíblica e compromete a sã doutrina cristã.
É impossível para mim conceber a ideia de que todos têm um destino predefinido antes mesmo de nascer e que o Senhor ame mais uns do que outros; e, por isso, tenha previamente determinado a salvação de uns e a condenação de outros.
Se o homem não tivesse autoconsciência e livre-arbítrio, não teria culpa de absolutamente nada. Assim, um estuprador ou qualquer outro malfeitor não poderiam ser acusados nem condenados, pois o crime seria sua única opção. Então, Deus, que os teria criado assim, não poderia puni-los; afinal, sem livre-arbítrio, sem poder mudar a sua sina, ninguém poderia agir de outro modo.
SUGESTÕES DE LEITURA:
Josué 24.15; Marcos 13.13; Romanos 8.17; 2 Coríntios 3.18; Efésios 3.6; 4.12,13,30; 5.1

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Cristão é detido e condenado a pagar multa por distribuir folhetos evangelísticos

Um evangelista foi preso e multado por distribuir folhetos com a mensagem bíblica nas ruas da cidade de Ahangaran, no Uzbequistão, acusado de “atividade missionária ilegal”.
Doniyor Akhmedov foi detido pela polícia no dia 16 de março logo após entregar um folheto evangelístico a um pedestre. Segundo informações da Missão Portas Abertas, o evangelista ficou 10 dias detidos na delegacia da cidade.
“Autoridades uzbeques, algumas vezes, obrigam cristãos a assinarem declarações que os acusam de quebrar a Lei sobre Religião. E, apesar de ter sido agredido e forçado a assinar, cristãos locais relatam que ele sempre recusou”, informou a nota da Portas Abertas.
Como Akhmedov foi forçado a assinar a declaração assumindo culpa, logo após o documento ter chegado às mãos das autoridades, o evangelista foi transferido para o Centro de Detenção da região de Tashkent no dia 26 de março.
Lá, ele “ficou detido em uma cela muito pequena com mais de 10 pessoas… Eles foram espremidos e mal tinha espaço no chão para dormir”, relataram testemunhas que serviram de fonte para o site Forum 18.
A libertação aconteceu cinco dias depois, em 31 de março, quando Akhmedov foi convocado para comparecer perante o Tribunal Penal do Distrito de Ahangaran, e multado no valor de 40 vezes o salário mínimo do país.O indiciamento do evangelista foi encaixado no artigo 184-2 que fala sobre a “distribuição de materiais religiosos”. Cristãos da cidade afirmaram que Doniyor Akhmedov se recusou a pagar o valor da multa, considerado exorbitante, e argumentou afirmando que “só exerceu o seu direito humano fundamental” de compartilhar sua fé.
Ore pela Igreja Perseguida. Cristãos ao redor do mundo se tornam mártires do Evangelho diariamente ao se recusarem a descumprir o Ide ou manterem sua fidelidade a Jesus Cristo. Em outros locais, onde a perseguição acontece de forma mais amena, cristãos sofrem diariamente com a imposição de regras e leis que dificultam sua rotina.

Pr. Silas participa do lançamento da Frente da Família


O lançamento da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Família e Apoio à Vida, nesta quarta-feira (20), contou com a participação de lideranças religiosas, como o pastor Silas Malafaia, além de senadores, músicos, atletas e outras personalidades.
O pastor Silas teve a oportunidade de se pronunciar e falou sobre as ameaças que enfraquecem a união familiar. “Este encontro promovido pelo senador Magno Malta é de alta importância e grande significado para a sociedade. Ele defende a base da nossa pátria, que é a família brasileira”, disse o pastor.
O presidente da Frente da Família, senador Malta, defendeu também o projeto do Estatuto da Família, que, segundo ele, significa manter valores, a seu ver, violados com campanhas pelo reconhecimento do casamento homossexual e legalização do aborto e das drogas. “Quero trabalhar para defender nossas crianças e jovens das ameaças que sofrem neste mundo considerado moderno”, declarou Malta.
Ainda segundo ele, o objetivo da Frente não é ficar na defensiva: “Temos que ser positivos em todas essas questões, não só nas que dizem respeito à vida, mas as que dizem respeito ao meio ambiente e ao cidadão trabalhador deste país, que hoje vê seus direitos sendo subtraídos e violados”.

domingo, 24 de maio de 2015

A difícil tarefa de evangelizar na Noruega

O pastor Jahan Binai, 54 anos, é iraniano e dirige atualmente uma igreja composta por ex-muçulmanos na Noruega

Como o senhor chegou aqui?
Fui reitor numa faculdade no Irã por 14 anos e vivia muito bem financeiramente. No entanto, tinha problemas com o regime no poder. Na cidade em que morávamos, quando a polícia fazia batidas, começava por nossa casa e, por causa dessa pressão política, deixamos o país. Primeiro fomos para a Turquia e dali, através da ONU, nos tornamos refugiados; depois viemos para a Noruega.
Quando chegamos aqui, pensamos que era o paraíso, porque os que estavam ao nosso redor nos mostravam amor. Mesmo que não falassem de Jesus conosco, sentíamos Jesus na vida deles.
Primeiro eu me converti e muita coisa mudou em mim; depois, minha esposa se  converteu porque viu as mudanças na minha vida. Nunca pressionamos nossos filhos, mas eles viram as mudanças na vida dos pais e eles próprios tomaram a decisão de seguir a Jesus.
Entramos em contato com iranianos em Oslo, a capital, e começamos a ser bem ativos na comunidade.
Trabalhamos durante 7 ou 8 meses e, embora não visse ninguém se convertendo, não desistimos. Com o tempo, Deus abriu as portas e, certo dia, começaram a chegar à igreja ônibus cheios de muçulmanos. Em cada culto víamos muçulmanos se dobrando e aceitando a Jesus. De vez em quando, viajamos até Dubai ou ao Azerbaijão como missionários para pregar.
Quais restrições o senhor ou a igreja tem enfrentado?
Quando vou ao asilo de refugiados, às vezes sou proibido de entrar. A direção do próprio asilo me proíbe: os funcionários, ou até mesmo muçulmanos fanáticos, e isso com o consentimento do governo. Tem sido um pouco complicado aqui na Noruega, mesmo sendo um país cristão, pois tem sido difícil evangelizar os muçulmanos.
Alguns são fanáticos e por isso nós às vezes temos problemas, somos criticados por eles. Fui ameaçado de morte, eu e minha família.
O senhor precisou de proteção policial por um tempo. O que aconteceu?
Um homem me telefonava repetidamente, e ele me ameaçava, dizendo que eu era uma vergonha para o islamismo; que o fato de eu convidar muçulmanos para cultos cristãos e fazê-los se converter ao cristianismo me tornava um impuro para o islã e que, por causa disso, ele mataria a mim e a minha família.
Acabamos sentindo que isso era algo emergencial e então ligamos para a polícia. Tínhamos medo de ir para a nossa casa, mas a polícia me forneceu um alarme para chamá-la, caso algo acontecesse. Andei meses com esse alarme e trocamos nossos números de telefone.
Numa das últimas ligações que recebi, disse ao meu perseguidor que o amava e não me importava, mesmo que ele de fato viesse a cortar meu corpo em vários pedaços, como havia dito que faria. Passou algum tempo e as ameaças cessaram. Então fui à polícia e disse-lhes que achava que Deus estava mudando o coração daquele homem e acreditava que não precisava mais de proteção policial. Mesmo assim, a polícia continua rondando a área onde moramos.
O que é mais urgente para o seu trabalho?

Oração e proteção. Outro desafio para nós que trabalhamos com essas pessoas é a mentalidade delas, pois é muçulmana. Elas transferem os valores muçulmanos para o cristianismo e esquecem que a mentalidade cristã é fundamentada na graça, enquanto a muçulmana é baseada no quanto de mau ou bom você fez. Nosso desejo é que eles tenham uma relação pessoal com Jesus, porque no islã há uma distância muito grande entre Deus e Jesus e leva algum tempo até que eles compreendam a necessidade de viver essa nova vida. Precisam muito de oração e da Palavra de Deus. Precisamos também de parceiros de oração e parceiros financeiros para o programa de televisão, pois é um projeto muito grande. Temos dois satélites. É um programa diário exibido várias vezes ao dia. Mais de 300 milhões de muçulmanos têm acesso a ele e muitas vidas têm sido alcançadas.

Missões

Missões são uma ordenança de Jesus Cristo, que antes de ascender aos céus após sua ressurreição, orientou seus discípulos a irem por todo o mundo, levar o evangelho e sua mensagem.
As ações missionárias e projetos sociais são cumprimento dessa ordenança de forma prática e efetiva, com resultados visíveis de transformação da sociedade e pessoas a quem essas iniciativas alcançam.
Nesta página, você tem acesso a todas as informações sobre missões, nacionais e internacionais, evangelismo e Projetos Sociais.“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura” Marcos 16:15

Estudo: adolescentes sem celular têm melhores notas na escola

Um estudo apurou que as escolas que não permitem o uso smartphones têm alunos com melhores resultados
Parte do motivo de alguns alunos atualmente terem mau aproveitamento escolar pode estar relacionado com o uso de smartphones, diz um estudo realizado pela School of Economics de Londres.
O estudo refere que em escolas onde haja uma proibição de smartphones se verificou um aumento em média de 6,41% na nota de alunos de 16 anos. A melhoria no aproveitamento foi ainda mais notória em alunos menos dotados, sendo eles os maiores beneficiados de ausência de distrações.
Refere o Cnet que é assim que este estudo aponta os smartphones nas mãos dos mais jovens, como “distrações” que têm um “impacto negativo na produtividade” ao oferecerem um dispositivo “altamente multifacetado.”
Fonte: Notícias ao Minuto

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Mulher saudita coloca em risco a própria vida por amor a Cristo

Fatima, uma jovem de vinte e poucos anos, viveu em um dos lugares mais hostis do planeta para um cristão, a Arábia Saudita. Ela não nasceu nem foi criada como cristã. Na verdade, sua vida começou como muçulmana.
Em uma fase de grandes dúvidas, ela abandonou sua fé no islã e optou por tornar-se ateia. Ela ouviu de vários amigos que a Bíblia fazia referência a Maomé. Isso a motivou a ficar horas e horas pesquisando e estudando este livro. Não importava onde ela procurava, não encontrava nenhuma menção de Maomé, mas ela sentia Deus por perto enquanto lia as Escrituras. Com isso, Fatima concluiu que o Evangelho é a verdade.
Depois de convertida, ela começou a escrever um blog, compartilhando sua emoção como recém-encontrada por Deus, para que seus amigos lessem. Como medida de segurança, ela usou um pseudônimo para proteger-se da multidão de insultos e respostas negativas que iria receber. Seu pseudônimo, Rania, significa “satisfeito”.
Um dia, ela recebeu um comentário sobre Jesus em seu blog, que dizia: “Vocês adoram a um tolo, crucificado e amaldiçoado Senhor. Nós não estamos honrados por termos cristãos sauditas. Se eu tivesse vocês em minhas mãos, eu os mataria duas vezes”.
Fatima respondeu: “Que o Senhor Jesus guie você e ilumine seu coração. Você é cruel para aqueles que se tornam cristãos. O Messias disse: ‘Bem-aventurados os perseguidos’. Eu sou de Cristo até a morte”.
Rania, como era chamada em seu blog, viveu corajosamente e assumiu todos os riscos. Existe alguma outra forma de cristianismo?
Após esse fato, Fatima decidiu que deveria contar a sua família que ela havia se tornado cristã. Ela tinha certeza de uma coisa: eles precisavam conhecer a Jesus. Depois de ter contado sobre sua decisão de seguir a Cristo, começou, rapidamente, uma grande discussão e todos ficaram exaltados.
No dia seguinte, após retornar a sua casa, Fatima descobriu que seu irmão havia entrado em seu quarto e acessado seu notebook. Isso a preocupou bastante, pois seu papel de parede era uma cruz e muitos arquivos com seus textos do blog estavam abertos. Seu irmão estava muito nervoso quando ela entrou no quarto.
Fatima, por segurança, trancou-se no quarto. Ela ficou on-line e escreveu em seu blog: “Estou com um grande problema”. Ao longo das próximas quatro horas, ela pediu que seus seguidores orassem por ela. Depois, ela escreveu: “Jesus Cristo é minha luz e minha salvação. A quem temerei?”.
Logo após, seu irmão entrou em seu quarto e, depois de agredi-la, a matou.
Cristãos ao redor do mundo arriscam tudo para seguir a Jesus. Eles experimentam as mesmas emoções e medos que você e eu. Mas eles se apegam seriamente nas palavras de Jesus: “Neste mundo vocês terão aflições. Tenham ânimo! Eu venci o mundo”.

Lula debocha de evangélicos durante palestra

 Ex-presidente ironizou retórica de lideres religiosos em tom de intolerância.
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva perdeu completamente a noção de limite. Durante uma palestra a sindicalistas na noite desta quarta-feira (20), em um hotel no centro de São Paulo, ele ironizou em tom de deboche os pastores evangélicos por culparem o diabo quando algo está errado.
Ao tentar justificar os erros do governo petista o ex-presidente explicou aos sindicalistas que nas ocasiões em que não é possível atender às reivindicações da categoria a melhor saída é colocar a culpa no governo, passando a ofender os evangélicos.
“Os pastores evangélicos jogam a culpa em cima do diabo. Acho fantástico isso. Você está desempregado é o diabo, está doente é o diabo, tomou um tombo é o diabo, roubaram o seu carro é o diabo”, disparou Lula.
Como a plateia foi receptiva ao tom de intolerância promovido pelo ex-presidente, Lula passou a debochar dos dízimos entregue as igrejas. “E a solução também está ali. É Deus. Pague o seu dízimo que Jesus te salvará”, disse em tom eloquente, imitando uma pregação religiosa.
Lula aconselhou os dirigentes sindicalistas a assimilar os métodos dos pastores, sugerindo que a culpa pela crise é do diabo. O ex-presidente usou os evangélicos para tentar aliviar o clima de tensão do ambiente, pois os sindicalistas estão pessimistas com os rumos do governo Dilma.
Os que participaram do Seminário Nacional de Estratégia promovido pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) ficaram empolgados com as piadas de Lula sobre os evangélicos.
A ironia de Lula se dá justamente em um momento em que líderes evangélicos conquistam espaço na Câmara dos Deputados presidida pelo evangélico Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Cunha tem pautado grandes derrotas para o governo Dilma com o apoio da bancada religiosa no Congresso. Com informações Estadão